.: Ricardo
.

um blog, aqui. uma peça, atualmente em cartaz. um filme, em algum lugar do futuro. músicas e sentimentos, em toda parte.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Ricardo

(primeiro a música, depois o texto)




Isabela,

hoje eu quis beijá-lo mais do que nunca. olhar em seus olhos, fazer vê-lo o quanto eu gosto dele. "como se nascesse ali um amor absoluto pelo homem que eu vi". hoje eu quis abraçá-lo e encostar meu corpo no dele e dizer-lhe palavras bonitas e sinceras. hoje eu quis fazê-lo sentir-se amado (porque aqueles olhos irresistivelmente carentes me dizem que talvez ele jamais tenha sido de verdade, para cortar os pulsos). hoje eu quis que ele nunca mais saísse do meu lado e quis que minha vida se conectasse à dele, quis saber tudo o que eu ainda não sei e quis saber mais e por mais tempo, quis fazer mais e mais parte. "coisas a se transformar para desaparecer e eu pensando em ficar a vida a te transcorrer..."

(ele encosta em mim, geralmente no meu braço. e eu nunca sei o que fazer.)

eu mostro a ele um relicário com todos os melhores tesouros singelos que eu consegui reunir. "poderia lhe entregar meu coração, alma vida e até minha atenção". mas ele olha de longe, quando olha. tem medo de descobri-lo. e eu vou ficando sem forças para segurar o relicário e triste de sentir que não terei disposição de tentar fazê-lo por mais tempo.

hoje eu quis dizer para ele: "você pensa que é fácil?"

você pensa que é fácil?

você pensa que é fácil?

eu acho que ele sabe que não é. mas tem um jeito atordoante de convencer a si mesmo (como se quisesse convencer a mim) de que talvez possa ser.

e eu morrendo devagar, em silêncio, pelo caminho, entre uma esquina e outra.

se você achar meu coração perdido pela cidade, devolva-me.


seu,

R.


.

3 comentários:

  1. Sensacional!
    Adoro este espaço, estou ansiosa para vê-los mais de perto.

    tataeoutrashistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Ambas, música e carta, lindas.

    Desde agora, começo a torcer pelo Ricardo porque não é fácil, o amor nunca o é.

    ResponderExcluir